Desvendando os segredos da vírgula

Não queremos saber.
Não, queremos saber.

Sim, vocês querem saber! As duas orações estão corretas, mas o uso depende da mensagem que você quer passar.

Muitas pessoas têm problemas para colocar a pontuação correta no texto. Alguns sinais são óbvios em suas colocações, como o ponto final, a interrogação e a exclamação.

Nenhum outro sinal de pontuação confunde tanto quando a vírgula. Basta colocá-la no lugar errado e você pode mudar a estrutura e o significado de um texto. Você já deve ter lido a famosa frase:

“Se o homem soubesse o valor que tem a mulher andaria de quatro à sua procura!”

  1. “Se o homem soubesse o valor que tem, a mulher andaria de quatro à sua procura!”
  2. “Se o homem soubesse o valor que tem a mulher, andaria de quatro à sua procura!”

Com o exemplo acima, você já consegue perceber que o uso correta da vírgula não está relacionado apenas às regras, mas também ao sentido.

Quando utilizar a vírgula:

Entre elementos repetidos:

  • Ele é muito, muito divertido.

Separando elementos com mesma função sintática:

  • Coloque na sacola a camiseta, o biquíni, o sapato e o protetor solar.

Antes das conjunções adversativas:

  • Ele é pobre, mas muito honesto.
  • Adoraria sair, porém preciso estudar.

Isolando o vocativo:

  • Maria, saia daí.
  • Pai, não se esqueça de mim.

Isolando aposto:

  • Jorge Amado, escritor baiano, faleceu em 2001.

Com adjunto adverbial deslocado (facultativo)

  • Ontem, fui ao cinema.

Local e data:

  • Recife, 24 de abril de 2015.

Antes do ETC:

  • “…carne, legumes, etc.”

(Se você colocar a conjunção aditiva E “e etc” vai passar a ideia de que é o ultimo exemplo)

Usa-se a vírgula para marcar elipse (omissão do verbo):

  • Eu gosto de jornais; e ele, revistas.

Antes da conjunção aditiva E

a) Quando ela unir orações coordenadas com sujeitos diferentes:

  • Tiago confirmou a data da festa, e Marina não comprou o presente.
  • Vanessa apenas come, e Eduardo cozinha.

b) Quando a conjunção E é adversativa e tem valor de MAS.

  • Você fala, e não faz.
  • A economia do país estabilizou, e o mercado imobiliário não. (a omissão do verbo na segunda oração, nós chamamos de zeugma)

Quando os elementos não estiverem na ordem direta:

  • O trigo, em razão da estiagem, teve uma valorização no preço.

A ordem direta seria: O café vem caindo de preço em razão da sua abundância.

Quando NÃO utilizar a vírgula:

Qual a ordem direta da oração?

  • Camila jantou com o namorado no novo restaurante.

Sujeito + verbo + complemento. Quando a estrutura estiver na ordem direta não é necessário o uso da vírgula.

Quando você deslocar o complemento, utilizará a vírgula.

  • No novo restaurante, Camila jantou com o namorado.

Então, NUNCA use a vírgula para separar termos que ligam-se diretamente:

a) sujeito e predicado.

A produção açucareira   diminuiu nos últimos anos.
Sujeito                            predicado

EXCETO quando houver um aposto logo depois do sujeito, como em:

  • Dilma, a presidenta da República, visitará o estado nesta sexta-feira.

Neste caso a vírgula acontece, porque, como expliquei acima, há aposto e ele sempre é separado por vírgula.

b) Separando o verbo do seu complemento:

As crianças foram acampar neste final de semana.
As crianças foram acampar, neste final de semana. (ERRADO)

Eu gosto de pessoas com senso de humor.
Eu gosto de pessoas, com senso de humor. (ERRADO)

exerc vírgula

4 Responses

Gostou? Deixe um comentário!